Saltar para o conteúdo principal da página

Galeria de Pintura do Rei D. Luís I

A Galeria de Pintura do rei D. Luís I (1838/1889) está localizada no Palácio Nacional da Ajuda em Lisboa. Concebida por desejo do próprio monarca para a apresentação da sua coleção privada , data de 1867 a sua inauguração.

Ocupando o piso Nobre da Ala Norte, o primeiro piso, dispõe de três salas de grandes dimensões ladeadas por um vasto corredor/nave . A totalidade deste espaço perfaz 1000 m2.

A Galeria reabre ao público em 1988 para iniciar a apresentação de exposições temporárias: Arte Portuguesa do século XIX; Giovanni Battista Piranesi; Joanni V, Magnífico; Alfredo KeilArtistas Viajantes e o Brasil no século XIX, entre outras)

Em 2007 é sujeita a obras de requalificação para equipar a Galeria com sistemas de climatização e de segurança que permitissem receber exposições com exigências expositivas específicas e de características muito diversas, tornando-a simultaneamente facilmente adequável a qualquer proposta de guião. São então apresentadas as exposições Arte e Cultura do Império Russo nas Colecções do Hermitage, de Pedro o Grande a Nicolau IIVida e obra de José Saramago, “ A Consistência dos Sonhos”; Obras de Referência dos Museus da Madeira; La mirada en el outro, Conexiones/Confrontaciones; 100 anos de Património; Via Crucis de Fernando Botero.


planta


Condições Ambientais

 

1 – ILUMINAÇÃO

 

Tipo de Iluminação

Iluminação natural pelos vãos existents, voltados a Sul e por projetores de lâmpadas de halogénio, spotlights e wallwashers da do tipo, ERCO Optec. Supsensoa em calhas trifásicas tipo erco. Possibilidade de iluminação de vitrinas por lâmpadas fluorescentes com balastro eletrónico e com controlo de intensidade de fluxo.

A Galeria possui um número considerável de projetores de vários tipos para calhas eletrificadas e  lâmpadas fluorescentes com balastro  eletrónico.

 

Exposição Luminosa

Nas Salas de Exposição: Há luz natural controlada filtrada pore estores com filtro UV e bçlackouts que permitem ajustar o nível de iluminação exigido.

O nível deA iluminação artificial é controlado por reóstatos incorporados nos projetores e ajustado para os valores desejados em função das peças a expor. Quando há uma combinação de iluminação natural e artificial o period médio de exposição é de 10 horas. Quando não existe iluminação natural o nível mínimo de iluminação é de inferior a 70 lux, por condições de segurança do espaço.

Reserva: Luz Artificial. Apenas ligada quando é necessário aceder ao espaço da reserva.

 

Variação do nível de iluminação (Salas de Exposição)

Pintura: 150-180 lux

Gravuras, desenhos e texteis: 50-60 lux

Outros objectos: nunca mais de 200 lux, embora possa ser superior em função das necessidades


 

2 – CONTROLO DA HUMIDADE E TEMPERATURA

Nas Salas de Exposição a humidade Relativa (HR) é controlada por um sistema central ligada a unidades de Close Control.

A HR pode ser mantida 24h/24h nas Salas de Exposição e Resreva entre 40-55%

O sistema é calibrado antes de cada exposição e os valores controlados diariamente.

A Temperatura (T) é regulada entre 20-22ºC, por unidades de Close Control em cada sala, em que o ar é filtrado carvão ativado sendo os parâmetros controlados por sistema computorizado.


 

3 – ACESSO, CARGA, EMBALAGEM E DESEMBALAGEM

A Galeria possui um cais de carga e descarga diretamente do exterior que exige a utilização de uma plataforma elevatória hidráulica caso a acaso. O desnível do Solo até à plataforma de acesso á galeria é de 9.80m

A Porta de Acesso à galeria tem 4.00m de Largura por 4.32m Altura

Existe um Elevador Monta-cargas com acesso direto à galeria. As dimensões interiores são de 1.65m Profundidade x 1.55m Largura. A Altura interior da cabine é de 2.06m. A Porta de acesso ao Monta-cargas tem 0.97m Largura e 1.97m de Altura livre.

Existe uma Escada Nobre onde podem ser transportadas peças de mair dimensão com 2.60m de Largura.

A galeria possui uma sala para desembalagem com controlo de HR e T com os mesmos requisitos de controlo das salas de Exposição.


 

4 - ACESSO PÚBLICO

O acesso do Público é feito a partir das arcadas Nascente do Palácio Nacional da Ajuda. Existe uma rampa com 6% de inclinação com corrimão e superfície antiderrapante. A rampa permite aceder a um elevador panorâmico para 6 pessoas que vai até ao Piso de Entrada da Galeria.

A galeria possui um balcão para Bilheteira e Bengaleiro.


5- WC

Existem instalações sanitárias para ambos os sexos, com cabine para deficientes motores. Situa-se num piso intermédio acessível por elevador


 

6 - SEGURANÇA

 

Sistemas de deteção e combate a incêndio

As Salas de Exposição estão protegidas por uma sistemas de deteção de incêndio, com detetores oticos.

O sistema de deteção está ligado a alarmes e à central de Segurança 24h/24H.

Há Carreteis tipo Boca de Teatro e extintores portáteis ao longo do espaço.

Existem saídas de emergência devidamente assinaladas com portas com barras anti-pânico.

 

Vigilância

Há uma equipa de segurança 24 horas por dia, com o número apropriado de vigilantes em função dos requisitos da exposição e contratada caso a caso.

Exite um destacamento da Guarda Nacional Republicana a 50m da Galeria, que confere proteção adicional caso seja requerido especificamente.

 

Sistemas de deteção de intrusão e equipamentos de deteção eletrónica

As Salas de Exposição estão protegidas por detetores de movimento com sistema de ultrasons e detetores fotoeletricos.

Existe um Circuito de Circuito Fechado de Televisão que funciona 24724H, ligado à Central de Segurança, com gravação de imagens em permanência.

As vitrinas podem ser equipadas com detetores de movimento e detetores de quebra de vidros, em função das necessidades de segurança.


7 – ESPAÇOS DE EXPOSIÇÃO

Salas de Exposição: area total 1.012 m2

Loja: area 45 m2

Sala de Reserva e armazenagem de equipamentos: Area 136 m2

Pé-direito das Salas de Exposição: 6.20m-5.30m~